segunda-feira, 26 de março de 2012

Bons em dias maus

Você ama? Ama mesmo? Não estou falando de amar família, esposo, namorado, amigos, enfim todos aqueles que temos algum tipo de afinidades. Estou falando justamente daqueles que você não conhece ou daqueles que conhece, mas não consegue amar porque antes observa os defeitos, os vícios ou os hábitos. Difícil, não é?

Quando lemos na Biblia a passagem em que Jesus fala do Samaritano que se compadeceu do homem que foi assaltado e espacando, ali ele estava falando de amor. Amor por aqueles que encontramos pelo caminho, por aqueles que não nos aparecem “atraentes” ou “interessantes” para nos dedicar, por aqueles que incomodam nosso sossego porque necessitam de nós tempo e paciência, por aqueles que tomaram atitudes e decisões que nós passamos a vida toda tentanto negar. Jesus nos faz um convite: ame.

Embora tenhamos que sair de nosso conforto, vencer nosso ego, nos doar sem saber o que essa pessoa nos dará em troca, mas amor não pede recompensas. Amor sozinho também não opera grandes miagres, por isso ame e ofereça ajuda, ame e auxilie, ame e disponibilize tempo, ame e dobre os joelhos para orar, ame e se preocupe com a necessidade do próximo, ame e dê esperanças, ame e fale de Um amor maior.

Não julge ninguém, não crie pré-conceitos sobre as pessoas, ame-as antes mesmo de conhecer ou imaginar toda a sua história. Dê um voto de confiança, afinal alguém já fez isso por você. Um dia, Jesus te amou tanto, tanto, tanto e talvez Ele não soubesse como seria sua feição, nem saberia o que o livre arbítrio lhe permitiria escolher, não sabia se ao morrer ali naquela cruz você reconheceria esse amor, você se emocionaria, você quisesse fazer alguma, qualquer coisa, para retribuir esse amor. Não, Ele não pediu nada, Ele simplesmente amou, te amou, te desejou, e foi como ovelha muda para o matadouro por amor a você. Você já retribuiu esse amor? Tenho certeza que você já tenha tentado, mas nunca seremos como deveríamos.

Essa é a lição de Jesus para esse tempo: o amor. Amor não depende de gostos em comum, de afinidades, de estatus social, de cor, de bens, amor é uma escolha. Você tem total liberdade de ESCOLHER AMAR.

Deus irá te ajudar quando você decidir por isso. E você irá ministrar com pessoas, dizendo: “-Eu estou aqui para te ajudar. Eu não julgo você, eu não me importo com o seu passado, não me importo com suas atitudes hoje, mas eu quero dizer que eu me importo com você e que Jesus também se importa. E eu quero ajudar você, como um dia eu também fui ajudado, porque eu desejo que você possa viver uma vida tão abençoada como eu vivo hoje na presença e no amor de Cristo.”

Eu oro para que essa seja sua decisão, em nome de Jesus.


Um comentário:

Talita disse...

Que reflexão maravilhosa, é fácil amar aquela pessoa que está sempre perto, nos dando motivos, mais tem horas que olhamos algumas pessoas e só enxergamos seus defeitos, medos, e nos afastamos...infelizmente é difícil dizer eu amo todo mundo...

bjss